LENTES DE CONTATO: o que você precisa saber

LENTES DE CONTATO
Compartilhe!
Lentes de contato podem ser usadas pela grande maioria das pessoas. A tecnologia voltada para a medicina permite o desenvolvimento de materiais cada vez mais eficientes, confortáveis e com poucos efeitos adversos à superfície ocular.

O artigo de hoje provavelmente será útil para quase todos que estiverem lendo, mesmo para aqueles que já as utilizam há bastante tempo e estão pensando “ah, mas eu já sei como usar.”

Mesmo sendo um ítem de uso pessoal muito frequente, ainda vemos por aí várias dúvidas e mitos a respeito das lentes de contato. Meu objetivo aqui é esclarecer da forma mais simples possível. Vamos lá?

O básico sobre as lentes de contato

Via de regra, o uso de lentes de contato visa a correção de um erro de refração, ou seja, a necessidade de corrigir algum grau que o olho possua, assim como os óculos (veja mais sobre erros de refração nos artigos sobre miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia).

Elas oferecem uma série de vantagens. Algumas pessoas as preferem por uma questão estética ou por maior praticidade. Elas também são vantajosas na prática esportiva. Em diversos casos, são capazes de proporcionar uma visão mais natural em comparação aos óculos e, ainda, alguns erros de refração são melhor corrigidos com o uso das lentes.

lentes de contato

lentes de contato

Além da sua função corretiva, lentes de contato também podem ser utilizadas apenas de forma cosmética (como para alterar a cor dos olhos) ou mesmo de forma terapêutica, na abordagem de algumas alterações da córnea.

Lentes de contato podem ser fabricadas de diversas formas. Estas podem ser rígidas (gás-permeáveis ou não), gelatinosas (o que vemos mais comumente em uso), asféricas ou esféricas (no que diz respeito à redução de pequenas distorções visuais que qualquer lente possa gerar), com maior ou menor índice de permeabilidade ao oxigênio (no que diz respeito à redução do oxigênio que chega à superfície da córnea, provocada pela lente de contato).

Nesse momento, é importante explicar que a nossa córnea não é vascularizada, portanto, o oxigênio que as células da córnea necessitam chega pelo ar. Logo, qualquer barreira física entre o ar e a superfície da córnea, como as lentes de contato, provocam uma redução do aporte de oxigênio a essas células.

LENTE DE CONTATO

Usando as lentes de contato

As lentes podem ser de uso único (como lentes “one-day”), de uso prolongado descartáveis (30 usos ou anuais, por exemplo) e algumas poucas adequadas para uso contínuo.

Baseado na necessidade de cada um, avaliada em consulta, o médico oftalmologista pode indicar o melhor tipo de lente de contato.

Independente do tipo de lente, alguns cuidados são universais.

 

Cuidando das lentes de contato

LENTES DE CONTATO

 

– Sempre armazenar as lentes de contato na caixinha própria, com solução adequada à higiene das mesmas;

– Criar uma ordem padrão para retirar ou colocar a lente de contato, começando sempre pelo mesmo olho, para evitar a troca de lentes de graus diferentes;

– Lavar bem as mãos antes de manusear as lentes, dando preferência a sabonetes neutros, a fim de evitar qualquer transferência de substâncias às lentes;

– Secar as mãos em toalha que não solte fiapos, para que esses não terminem grudados às lentes;

– Manter as unhas aparadas e bem higienizadas (além de reduzir a chance de contaminação e lesão da córnea, evita-se rasgar a lente ao manuseá-la);

– Usar soluções próprias para a higiene das lentes. NUNCA água da pia ou soro fisiológico – a primeira aumenta muito a chance de contaminação por microorganismos agressivos à superfície do olho, como a Acanthamoeba que pode gerar úlceras de córnea de rápida evolução; o segundo porque contamina rapidamente após sua abertura, uma vez que não possui conservantes;

– Mesmo que as soluções indiquem não ser necessário, sempre realizar uma delicada fricção das lentes, entre a palma da mão e a ponta do dedo indicador (sem a unha), usando a solução de limpeza, toda vez que for colocar ou após retirar a lente de contato;

 

LENTES DE CONTATO

 

– Higienizar a caixinha onde guarda as lentes semanalmente. É interessante usar sabão neutro e uma escova de dentes limpa para que qualquer impureza retida mesmo na rosca da tampa seja removida. Secar naturalmente e guardá-la sempre fechada após seca;

– Trocar a caixinha mensalmente;

– Respeitar o limite de tempo para a troca das lentes – isso porque, após aquele limite, o material das lentes começa a acumular, apesar da higiene correta, resíduos que podem provocar desconforto ou até lesão na superfície ocular;

– Mesmo que não utilize as lentes diariamente, deve-se trocar a solução da caixinha todos os dias e, ainda assim, descartá-las após o limite de tempo de uso indicado;

– Não dormir utilizando as lentes de contato. Quando estamos de olhos fechados, o aporte de oxigênio à nossa córnea já fica reduzido para aproximadamente 33% do normal. Imagina se, ainda por cima, houver uma outra barreira física, como a lente de contato? As células da córnea entram em sofrimento, o que pode provocar uma série de lesões na superfície ocular;

Lentes de contato são mesmo seguras?

Via de regra, as lentes de contato são bastante seguras.

Quando ocorre alguma complicação decorrente do seu uso, sendo a infecção a mais temida, na grande maioria das vezes decorre de um mau uso das mesmas.

O que eu quero dizer com mau uso? Toda vez que as regras básicas de cuidados com as lentes (que foram citadas no tópico acima) não são respeitadas.

Além da  infecção, outras complicações possíveis de ocorrer são: ceratites (pequenos machucados na superfície da córnea), úlceras de córnea, perda da transparência da córnea, deformidades da mesma, alergia ocular.

Veja abaixo um exemplo de úlcera de córnea em um usuário de lentes que as teve contaminadas por Acanthamoeba, devido à higienização com água da pia.

 

LENTES DE CONTATO

Quem pode usar as lentes de contato?

A contra-indicação ao uso das lentes está mais ligada aos cuidados pessoais de cada um do que à faixa etária propriamente dita.

No geral, todos que possuem algum erro refracional (necessidade de correção de grau) podem fazer uso de lentes de contato. Além de corrigir a miopia e a hipermetropia, existem lentes tóricas para a correção do astigmatismo e mesmo a presbiopia pode ser corrigida, pelo uso de lentes de contato multifocais ou a técnica de monovisão (seu olho dominante é corrigido para longe e o outro é corrigido para perto – parece estranho, mas é, de fato, uma solução bastante confortável).

O mesmo vale para lentes de uso cosmético ou corretivo-cosmético.

Existem, claro, contra-indicações ao uso das lentes, mas a maioria é relativa:

– pessoas com maus hábitos de higiene ou pouco cooperativas ou que tenham intolerância psicológica a qualquer coisa de possa entrar em contato com os olhos ou que trabalhem em ambientes de alta poluição do ar ou poeira;

olho seco de moderado a grave;

– inflamações ou infecções oculares agudas ou crônicas;

– qualquer doença ocular que afete a superfície da córnea, nas quais o uso das lentes possa gerar mais complicações;

– defeitos ou doenças palpebrais;

– alcoolismo, diabetes descompensado ou uso de medicamentos que possam provocar ressecamento ocular;

Algumas curiosidades sobre o uso das lentes de contato

A sensação de desconforto que as lentes de contato podem gerar em quem está começando o uso tende a reduzir e logo a pessoa até esquece que está de lentes. Isso ocorre porque há uma redução das terminações nervosas de tato na superfície da córnea quando faz-se uso crônico de lentes de contato.

Não existe o risco da lente ficar perdida atrás do globo ocular. A membrana conjuntiva – que cobre a área branca dos olhos – se une à parte interna da pálpebra, o que torna impossível que qualquer coisa migre para a região posterior ao olho.

As lentes não são somente ajustaveis de acordo com o grau. Elas podem variar no tamanho do seu diâmetro e na intensidade da sua curvatura. Lentes vendidas em óticas costumam apresentar um tamanho e curvatura padrões, que atendem à maioria da população. Porém, para muitos é necessário calcular o tamanho e curvatura para que a lente fique bem adaptada à superfície do olho, sem provocar lesões. Pense assim: comprar roupas numa loja “tamanho único” dá certo pra todo mundo?

Salvo em casos em que as lentes estão mal adaptadas, elas não costumam “pular” para fora dos olhos e, quando saem da posição ideal, são facilmente rejustadas com algumas piscadas ou leve manuseio da mesma – após lavar as mãos, é claro.

As lentes podem ser usadas por quem pratica natação, mas fica obrigatório o uso dos óculos de mergulho, uma vez que piscinas, mares e lagos são ambientes de alto risco de contaminação e abrir os olhos embaixo d’água pode favorecer que pequenos detritos fiquem aderidos às lentes.

lentes de contato

lentes de contato

 

 

 

 

Quem usa lente de contato também pode usar maquiagem. As lentes devem ser colocadas antes de realizar a maquiagem e retiradas antes de utilizar substâncias para a higiene das pálpebras.

Para quem é marinheiro de primeira viagem, todas as orientações sobre o uso correto, a prática de tirar e colocar as lentes, bem como o exame oftalmológico em uso da lente são de suma importância para evitar complicações.

E, por fim, não tenha medo de adotar essa praticidade em sua vida. Mas faça-o de maneira responsável.

Grande abraço e até a próxima! :)

 

 

 

 

Compartilhe!

Posted on 21 de outubro de 2016 in Curiosidades Gerais, Erros de Refração, Sem categoria, Superfície Ocular

Share the Story

About the Author

Back to Top